• Tainá Biazus

Desconhecido


Quando falamos sobre preocupação falamos sobre pensamentos que antecipam situações futuras reais ou imaginárias. Será que temos a opção de escolher não preocupar-se? A preocupação vem acompanhada de desconforto emocional, muitas vezes de sofrimento intenso. Se costumamos nos sentir pior quando nos preocupamos, por que fazemos isso? Nos preocupamos porque pensamos que isso pode nos ajudar. Preocupação geralmente é sobre - E SE? Muitas pessoas veem a preocupação como algo essencial a vida, pensam que ela é motivação e energia. As pessoas acreditam que a preocupação ajuda a não esquecer algo importante ou que ela é uma maneira eficaz para prevenir-se de algo ruim que possa acontecer. "PRECISO ME PREOCUPAR COM O FUTURO PARA ESTAR PREPARADO E NÃO SER PEGO DE SURPRESA". E a lista de preocupacoes não para por aí, né? O fato é que a preocupação não te ajuda a solucionar um problema, nem a sentir-se melhor em relação a ele, muito menos te ajuda a tolerar esse problema. A preocupação possivelmente te deixa sem saída, te prende numa mente governada por emoções, não traz clareza e te deixa inseguro. O problema é que a preocupação leva a mais ansiedade e depressão. Muitas pessoas pensam que preocupar-se é bom, ocupa a mente, mas o que essas pessoas não sabem é que a preocupação é não tolerar o que é incerto, é afastar-se do que a vida é: mudança, dinâmica, inconstância. Você frequentemente se preocupa porque não consegue aceitar a incerteza - não saber com certeza o que realmente incomoda. Acha que incerteza significa que alguma coisa ruim vai acontecer, que é um sinal de que algo está sendo escondido de você. Talvez o mais importante: acha que é possível obter a certeza. Acredita que se continuar pensando/se preocupando obterá a certeza absoluta. Não existe certeza em um mundo incerto. A ÚNICA CONSTÂNCIA NA VIDA É A MUDANÇA.


Referência para essa dissertação: A cura do ciúme. Aprenda a confiar, supere a possessividade e salve seu relacionamento. Autor: Robert L. Leahy , 2019.


Treinamento de Habilidades em DBT, Manual de Terapia Comportamental Dialética para o Paciente. Autor: Marsha Linehan, 2018.

0 visualização
  • Facebook
  • Instagram
© 2020 Tainá Biazus